Diversão

Seguem abaixo estórias com o “moral da história“, “contos e causos”, como a do mestre chinês ou do velho sábio – aquelas que sempre tem algo a nos ensinar.

Espero que gostem!

___________________________

abacaxiO Abacaxi

João trabalhava em uma empresa há 20 anos. Funcionário sério, dedicado. Um dia ele procurou o dono da empresa para fazer uma reclamação:

– Patrão, tenho trabalhado com muita dedicação e me senti injustiçado. O Juca que está há apenas 3 anos foi promovido e eu não.

O patrão ouviu atentamente e pediu antes de dar a resposta, uma ajuda.

– Por favor, vá à quitanda na esquina e verifique se eles tem abacaxi. Desejamos fazer uma sobremesa após o almoço de hoje, para todos os funcionários.

João, meio sem jeito, saiu para cumprir a sua missão e voltou em 5 minutos.

– João, como foi?

– Eles tem abacaxi sim!

– E quanto custa?

– Isso eu não perguntei Sr.

– Sabe informar se tem abacaxi para todos os funcionários?

– Também não perguntei isso.

– Temos alguma outra fruta que poderíamos substituir pelo abacaxi?

– Boa pergunta, não pensei nisso e não sei responder por enquanto.

– Ok João, sente-se e aguarde um pouco por favor.

O patrão chamou o Juca e deu a mesma orientação, Juca foi à quitanda e voltou em 8 minutos.

– Olá Juca!

– Eles tem abacaxi sim e em quantidade suficiente para todo o nosso pessoal. Se o Sr. preferir tem também banana, laranja e mamão. O abacaxi está sendo vendido por R$ 1.5 e a banana e mamão por R$ 1. Como compraremos em quantidade, pedi desconto, ele deu 15% e se comprometeu em descascar o abacaxi. Desta forma já deixei reservado apenas pra confirmar. Desejando, por favor me confirme que eu volto.

Juca saiu da sala, e o patrão perguntou ao João:

– João, o que mesmo desejava saber?

– Nada sério Sr., entendi o recado e concordei.

Tem muita gente assim, acomodada e que não faz nada além do que foi pedido. São pessoas que acham que já fazem demais e sentem-se injustiçados. Não se restrinja, não se limite, amplie seus horizontes. 

___________________________

OS 2 PEDREIROS

pedreiro

Um homem viu 2 pedreiros trabalhando numa obra, eles estavam lado a lado. O homem se aproximou e perguntou aos 2 o que eles estavam fazendo. O primeiro respondeu:

– Ah, estou construindo uma parede.

O outro, que estava ao seu lado, disse:

– Eu estou construindo a casa do Senhor!

Em resumo, a vida é assim, tudo depende do ponto de vista e principalmente de como você vende o seu trabalho.

___________________________

O mestre e o escorpiãoO Mestre e o Escorpião

Um grande mestre estava fazendo sua caminhada matutina, quando viu um  escorpião que estava se afogando e decidiu tirá-lo da água. Apressando-se para  salvar a vida do bicho, meteu a mão na água, mas quando o fez, o escorpião o  picou.

Pela reação de dor, o mestre o soltou e o animal caiu de  novo na água e estava se afogando de novo. Rapidamente, o mestre tentou tirá-lo  novamente da água e novamente o animal o picou.  Alguém que estava observando se aproximou do mestre e lhe disse:
— Desculpe-me, mas você me parece muito teimoso! Não está percebendo que  todas às vezes que tentar tirar o escorpião da água ele irá picá-lo?
O mestre respondeu:
— A natureza do escorpião é picar, e isto não vai  mudar a minha, que é ajudar!
Então, com a ajuda de uma folha o mestre tirou o escorpião da água e salvou  sua vida.
Nem as circunstâncias, nem as pessoas, nem nada, deveria mudar as coisas boas  que temos em nós!

___________________________

burro buracoO Burro e o Buraco

Um dia, o jumento de um fazendeiro caiu num poço. O animal relinchou penosamente por horas, enquanto o fazendeiro pensava o que fazer.

Por fim, o fazendeiro chegou à conclusão de que o poço precisava mesmo ser fechado e, como o animal estava velho, não valia a pena resgatá-lo. O fazendeiro convidou seus vizinhos para ajuda-lo, todos pegaram pás e começaram a jogar terra dentro do poço.

No início, percebendo o que acontecia, o jumento relinchava, desesperado. Depois, para surpresa geral, aquietou-se.

Algumas pás de terra depois, o fazendeiro resolveu olhar para baixo e ficou surpreso com o que viu. O jumento sacudia cada pá de terra que caia sobre ele, e aproveitava a terra pra subir um pouco mais. Não demorou para todos se espantarem ao ver o jumento escapar do poço e sair trotando alegremente.

A vida vai jogar terra em você. Todo o tipo de terra. Para sair do poço, o segredo é sacudi-la e aproveitá-la para subir mais um pouco. Cada um dos nossos problemas pode ser um degrau. Sairemos do poço mais profundo, se não nos detivermos, se não desistirmos. Sacuda a terra e aproveite-a para subir!

___________________________

A Síndrome do Sapo Fervido

Você sabia que o sapo fica fica “parado” quando está num recipiente com água em processo de aquecimento? Isso mesmo! Ele fica imóvel e morre quando a água ferve!

Ele não reage à mudança (gradual aumento da temperatura).

Você já encontrou pessoas pessoas com comportamento igual ao do sapo fervido?

Pessoas que não percebem os problemas, que acham que está tudo bem, literalmente se acomodam e quando descobrem – a água já ferveu. Não agem no momento certo, procrastinam as ações com uma atitude passiva, e o resultado é o caos, crises que poderiam ser evitadas. É espantoso esse comportamento no ser humano e no mundo corporativo, portanto não seja você um sapo fervido:

Atue com impacto e influência para tentar mudar algo de errado que está acontecendo a sua volta, não cruze os braços e não faça descaso – mostre indignação e insatisfação. Não deixe a “omissão” prevalecer perante os fatos que o cercam e aos acontecimentos que podem gerar prejuízo e impacto negativo futuro. Faça acontecer!

___________________________

A Invasão

Um fazendeiro resolve colher algumas frutas em sua propriedade, pega um balde vazio e segue rumo às árvores frutíferas. No caminho ao passar por uma lagoa, ouve vozes femininas e acha que provavelmente algumas mulheres invadiram suas terras.

Ao se aproximar lentamente, observa várias belas garotas nuas se banhando na lagoa.

Quando elas percebem a sua presença, nadam até a parte mais profunda da lagoa e gritam:

– Nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora.

O fazendeiro responde:

– Eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés!

A CRIATIVIDADE É O QUE FAZ A DIFERENÇA NA HORA DE ATINGIRMOS  NOSSOS OBJETIVOS MAIS RAPIDAMENTE.

___________________________

A Dívida do Vizinho

Um homem está entrando no chuveiro enquanto sua mulher acaba de sair e está se enxugando. A campainha da porta toca. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender a porta a mulher desiste, se enrola na toalha e desce as escadas. Quando ela abre a porta, vê o vizinho Nestor em pé na soleira.

Antes que ela possa dizer qualquer coisa, Nestor diz:

– Eu lhe dou 3.000 reais se você deixar cair esta toalha!

Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua.

Nestor então entrega a ela os 3.000 reais prometidos e vai embora.

Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher se enrola de novo na toalha e volta para o quarto. Quando ela entra no quarto, o marido grita do chuveiro:

– Quem era?

– Era o Nestor, o vizinho da casa ao lado, diz ela.

– Ótimo! Ele lhe deu os 3.000 reais que ele estava me devendo?

SE VOCÊ COMPARTILHA INFORMAÇÕES A TEMPO, VOCÊ PODE PREVENIR EXPOSIÇÕES DESNECESSÁRIAS.

___________________________

O Gênio

Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e na rua encontram uma antiga lâmpada a óleo. Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um gênio. O gênio diz:

– Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um de vocês!

– Eu primeiro, eu primeiro. Grita um dos funcionários!!!

– Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na vida. Pufff e ele foi.

O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido:

– Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de pina coladas! Puff, e ele se foi.

– Agora você – diz o gênio para o gerente.

– Eu quero aqueles dois de volta ao escritório logo depois do almoço para uma reunião!

OUÇA SEMPRE O SEU CHEFE ANTES DE TOMAR UMA DECISÃO.

___________________________

Carroça Vazia

Certa manhã, meu pai, muito sábio, convidou-me a dar um passeio no bosque e eu aceitei com prazer. Ele se deteve numa clareira e depois de um pequeno silêncio me perguntou: Além do cantar dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa?

Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi: Estou ouvindo o barulho de carroça.

Isso mesmo disse meu pai, é uma carroça vazia.

Perguntei ao meu pai: Como pode saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos?

Ora, respondeu meu pai. É muito fácil saber que uma carroça está vazia por causa do barulho. Quanto mais vazia a carroça maior é o barulho que faz. Tornei-me adulto, e até hoje, quando vejo uma pessoa falando demais, gritando, tratando o próximo com grossura, prepotente, ouço a voz do meu pai:

QUANTO MAIS VAZIA A CARROÇA, MAIS BARULHO ELA FAZ.

___________________________

A Vaquinha

O Mestre e seu jovem discípulo avistaram um sítio de aparência humilde e resolveram fazer uma breve visita. Chegando ao sítio constataram a pobreza do lugar, sem acabamento, casa de madeira e os moradores, um casal e três filhos, vestidos com roupas sujas e rasgadas.

 Ao senhor, que parecia ser o pai daquela família, o Mestre perguntou:

– “Neste lugar não há sinais de pontos de comércio, nem de trabalho. Como vocês sobrevivem”?

Calmamente veio a resposta:

– “Meu senhor, temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite todos os dias. Uma parte nós vendemos ou trocamos na cidade mais próxima por outros gêneros de alimentos. Com a outra parte fazemos queijo, coalhada, etc., para o nosso consumo… e assim vamos sobrevivendo”.

O Mestre agradeceu a informação, contemplou o lugar por uns momentos, despediu-se e foi embora. No meio do caminho, em tom grave, ordenou ao seu fiel discípulo:

– “Pegue a vaquinha, leve-a até o precipício e empurre-a lá para baixo”.

Em pânico, o jovem ponderou ao Mestre que a vaquinha era o único meio de sobrevivência daquela família. Percebendo o silêncio do Mestre, sentiu-se obrigado a cumprir a ordem. Assim, empurrou a vaquinha morro abaixo! Vendo-a morrer.

Essa cena ficou marcada na memória do jovem durante anos. Certo dia, ele decidiu largar tudo o que aprendera e voltar ao mesmo lugar para contar tudo àquela família, pedir perdão e ajudá-los. Quando se aproximava, avistou um sítio muito bonito – todo murado, com árvores floridas, carro na garagem e algumas crianças brincando no jardim. Ficou desesperado imaginando que aquela humilde família tivera que vender o sítio para sobreviver. Ao chegar lá foi recebido por um caseiro simpático, a quem perguntou sobre a família que ali morou há alguns anos.

– “Continuam morando aqui”, respondeu rapidamente o caseiro.

 Surpreso, ele entrou correndo na casa e viu que era efetivamente a mesma família que visitara antes com o Mestre e perguntou ao senhor que era o dono da vaquinha:

– “Como o senhor conseguiu melhorar este sítio e ficar tão bem de vida”?

A resposta veio com entusiasmo:

– “Tínhamos uma vaquinha que caiu no precipício e morreu. Daí em diante tivemos que aprender a fazer outras coisas e desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos”.

 E completou feliz:

– “Assim, conseguimos conquistar o sucesso que seus olhos vêem agora”!

 Todos nós temos uma “vaquinha”, que nos dá as coisas básicas para sobreviver, mas que nos obriga a conviver com uma cega rotina.

IDENTIFIQUE A SUA “VAQUINHA” E BUSQUE CRESCIMENTO.

CERTAS VEZES  PERDEMOS ALGO E NOS DESESPERAMOS, É A “OPORTUNIDADE” DE DAR A VOLTA POR CIMA.

___________________________

A Corrida de Sapos

Era uma vez uma competição que tinha sido organizada por sapos. O objetivo era alcançar o topo de uma torre. Muitos fãs se reuniram para ver a corrida e apoiar os participantes. E a corrida começou…

Mas ninguém realmente acreditava. As pessoas diziam: “Pena!!! Vocês não vão conseguir!” Alguns começaram a desistir, outros a cair. Mas havia um que persistia e continuava a subir.

A multidão continuava gritando: “Pena!!! Vocês não vão conseguir!”. E os sapinhos estavam desistindo um por um, menos aquele que continuava tranquilo, embora arfante.

No final, só restava um, que com um enorme esforço, chegou ao topo da torre.

Ao final da competição, todos desistiram, menos ele. A curiosidade tomou conta de todos. Queriam saber o que tinha acontecido. E assim, quando foram perguntar ao sapinho como ele havia conseguido, descobriram que ele era surdo!

MANTENHA-SE ATENTO AO EXCESSO DE VERDADES ALHEIAS, É TÓXICO E SUFOCA A CONSCIÊNCIA.

___________________________

O Repórter

Um repórter perguntou – curioso – à Madre Teresa de Calcutá:

– O que a Senhora fala com Deus quando ora pra Ele?

….

– “Eu não falo nada, eu só ouço o que ele tem a me dizer”, respondeu ela.

– “E o que Deus tem a te dizer?”, insistiu o repórter.

– “Ele não me diz nada, ele só ouve o que eu tenho a lhe dizer”

O SILÊNCIO RESPONDE ATÉ O QUE NÃO FOI PERGUNTADO.

___________________________

Moisés, Jesus e um Velhinho

Moisés, Jesus e um velhinho jogavam golfe.

Moisés colocou a bola no pino e deu a primeira tacada; a bola caiu num lago. Moisés chegou à beira do lago e, levantando o taco, as águas se abriram.

Ele entrou, deu a segunda tacada e a bola foi diretamente para o buraco.

Na vez de Jesus jogar, a bola também foi parar no lago, mas caiu sobre a folha de uma vitória-régia. Então, Jesus caminhou sobre as águas, foi até a planta e deu a segunda tacada, mandando a bola para o buraco.

Aí foi a vez do velhinho. Ele, trêmulo, preparou-se para dar a tacada inicial. A bola voou para fora do clube e começou a cair na direção de um riacho. Nesse instante, um sapo a engoliu. Pouco depois, uma cobra engoliu o sapo e foi agarrada por um gavião; a ave apertou demais a cobra que regurgitou o sapo ao sobrevoar o campo de golfe; ao cair, o sapo bateu com o peito no chão e cuspiu a bola diretamente para o buraco.

Ao acompanhar toda aquela cena, Moisés olha para Jesus e diz:

– Cara, é muito chato jogar golfe com o teu Pai…

TUDO É POSSÍVEL ÀQUELE QUE CRÊ.

___________________________

Em Algum Lugar do Paraíso (Luis Fernando Veríssimo)

As datas deveriam nos fixar no tempo como as coordenadas geográficas nos fixam no espaço, mas a analogia não funciona. Na nossa fome de coordenadas no tempo nos convencemos até que dias da semana têm características. Que uma terça-feira, por exemplo, não serve pra nada. Que terça é o dia mais sem graça que existe, sem a gravidade de uma segunda – dia de remorsos e decisões – e o peso da quarta, que centraliza a semana, ou a concentração da quinta, ou a frivolidade da sexta.

O novo milênio se estende como um imenso pergaminho à nossa frente, esperando para ser preenchido. Podemos escolher nosso destino, desenhar nossos próprios meridianos e paralelos e prováveis novos mundos.

Nada a ver – ou tudo a ver, sei lá – mas feliz era Adão, o primeiro homem. Não porque estava no jardim do Paraíso, com tudo em volta para saciar, mas porque não sabia do tempo e da morte. Vivia num eterno presente, num eterno domingo. O que vinha depois da passagem da sombra da noite não era o dia seguinte, era o mesmo dia, ou até o dia anterior, quem se importava? Adão, sozinho no Paraíso, era um homem feliz porque era um homem sem datas. Mas quando Deus colocou Eva ao lado de Adão, a primeira coisa que ela perguntou, ainda úmida da criação, só para puxar assunto, foi: “Que dia é hoje?”, e ele sentiu que sua paz terminara.

ELE ERA UM HOMEM NO TEMPO. UM HOMEM COM UM ONTEM E UM AMANHÃ.

___________________________

O Burrinho

O cara chegou em casa meio bêbado e disse a esposa:

– Querida, comprei um bilhete da loteria e quando eu ganhar vou comprar uma carroça e uma égua para trabalhar, essa égua vai ter um burrinho que eu vou cuidar dele para vender.

Daí o filhinho de 6 anos disse:

– Papai o senhor deixa eu montar no burrinho?

Mais que depressa o cara tirou a cinta e começou a bater no menino dizendo:

– No meu burrinho você não monta! Vai machucar o bichinho!

A esposa tirou a criança e disse:

– Seu tolo! Você ainda nem ganhou na loteria e já está batendo no menino.

MUITAS VEZES NOS ANTECIPAMOS E NOS ESTRESSAMOS COM AQUILO QUE AINDA NÃO ACONTECEU OU TALVEZ NUNCA ACONTEÇA.

___________________________

O Asno

No Curso de Medicina, o professor se  dirige ao aluno e pergunta:

– Quantos rins nós  temos?

– Quatro! Responde o aluno.

– Quatro? Replica o  professor, arrogante, daqueles que sentem prazer em tripudiar sobre os  erros dos alunos.

– Tragam um feixe de capim, pois temos um asno na  sala. Ordena o professor a seu auxiliar.

– E para mim um  cafezinho! Replicou o aluno ao auxiliar do mestre.

O professor  ficou irado e expulsou o aluno da sala. O aluno era Aparício Torelly  (1895-1971), o ‘Barão de Itararé’. Ao sair da sala, o aluno ainda  teve a audácia de corrigir o furioso mestre:

– O senhor me perguntou  quantos rins ‘NÓS TEMOS’. ‘NÓS’ temos quatro: dois meus e dois seus. ‘NÓS’  é uma expressão usada para o plural.Tenha um bom apetite e delicie-se com o  capim.

MUITAS VEZES A VIDA EXIGE MUITO MAIS  COMPREENSÃO DO QUE CONHECIMENTO.
___________________________

A Roupa faz a Diferença?

Sem maiores  preocupações com o vestir, o médico conversava descontraído com o  enfermeiro e o motorista da ambulância, quando uma senhora elegante chega e  de forma ríspida, pergunta:

– Vocês sabem onde está o médico do  hospital?

Com tranqüilidade o médico respondeu:

– Boa  tarde, senhora! Em que posso ser útil?

Ríspida,  retorquiu:

– Será que o senhor é surdo? Não ouviu que estou  procurando pelo médico?

Mantendo-se calmo,  contestou:

– Boa tarde, senhora! O médico sou eu, em que posso  ajudá-la ?!?!

– Como?!?! O senhor?!?! Com essa  roupa?!?!…

– Ah, Senhora! Desculpe-me! Pensei que a senhora  estivesse procurando um médico e não uma vestimenta….

– Oh!  Desculpe doutor! Boa tarde! É que… Vestido assim, o senhor nem parece um  médico…

– Veja bem as coisas como são…- disse o médico -… as  vestes parecem não dizer muitas coisas, pois quando a vi chegando, tão bem  vestida, tão elegante, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para  todos e depois daria um simpaticíssimo “boa tarde!”; como se vê, as  roupas nem sempre dizem muito…

UM DOS MAIS BELOS TRAJES DA ALMA É A  EDUCAÇÃO.
___________________________

O Mecânico e o Médico

Um mecânico está desmontando  o cabeçote de uma moto, quando ele vê na oficina um cirurgião cardiologista  muito conhecido. Ele está olhando o mecânico trabalhar. Então o mecânico  pára e pergunta:

– ‘Ei, doutor, posso lhe fazer uma  pergunta?’

O cirurgião, um tanto surpreso, concorda e vai até a  moto na qual o mecânico está trabalhando. O mecânico se levanta e  começa:

– “Doutor, olhe este motor. Eu abro seu coração,  tiro válvulas, conserto-as, ponho-as de volta e fecho novamente, e, quando  eu termino, ele volta a trabalhar como se fosse novo. Como é então, que eu  ganho tão pouco e o senhor tanto, quando nosso trabalho é praticamente  o mesmo?”

Então o cirurgião dá um sorriso, se inclina e fala  bem baixinho para o mecânico:

– ‘Você já tentou fazer como eu  faço, com o motor funcionando?’

QUANDO A  GENTE PENSA QUE SABE TODAS AS RESPOSTAS, VEM A VIDA E MUDA TODAS AS  PERGUNTAS.
___________________________

Tranquilo

Entra um senhor desesperado na  farmácia e grita:

– Rápido, me dê algo para a diarréia!  Urgente!

O dono da farmácia, que era novo no negócio, fica muito  nervoso e lhe dá o remédio errado: um remédio para nervos. O senhor, com  muita pressa, pega o remédio e vai embora.

Horas depois, chega  novamente o senhor que estava com diarréia e o farmacêutico lhe  diz:

– Mil desculpas senhor. Creio que por engano lhe dei um  medicamento para os nervos, ao invés de algum remédio para diarréia. Como o  senhor está se sentindo?

O senhor responde:

–  Cagado… mas tô tranquilo.

POR MAIS  DESESPERADORA QUE SEJA A SITUAÇÃO, SE ESTIVER CALMO, AS COISAS SERÃO VISTAS  DE OUTRA MANEIRA.
___________________________

Psiquiatra

O sujeito vai ao  psiquiatra

– Doutor – diz ele – estou com um problema: Toda vez que  estou na cama, acho que tem alguém embaixo. Aí eu vou embaixo da cama e  acho que tem alguém em cima. Pra baixo, pra cima, pra baixo, pra cima.  Estou ficando maluco!

– Deixe-me tratar de você durante dois  anos, diz o psiquiatra. Venha três vezes por semana, e eu curo este  problema.

– E quanto o senhor cobra? – pergunta o  paciente.

– R$ 120,00 por sessão – responde o  psiquiatra.

– Bem, eu vou pensar – conclui o  sujeito.

Passados seis meses, eles se encontram na rua.

–  Por que você não me procurou mais? – Pergunta o psiquiatra.

– A 120  paus a consulta, três vezes por semana, durante dois anos, ia ficar caro  demais, ai um sujeito num bar me curou por 10 reais.

– Ah é? Como?  Pergunta o psiquiatra.

O sujeito responde:

– Por R$ 10  ,00 ele cortou os pés da cama…

HÁ UMA  GRANDE DIFERENÇA ENTRE FOCO NO PROBLEMA E FOCO NA  SOLUÇÃO.

___________________________

Lenda do Oriente

Conta uma popular lenda do Oriente, que um jovem chegou à beira de um oásis, junto a um povoado e, aproximando-se de um velho, perguntou-lhe:
– Que tipo de pessoas vive neste lugar?

– Que tipo de pessoas vive no lugar de onde você vem? – perguntou por sua vez o ancião.

– Oh! Um grupo de egoístas e malvados – replicou-lhe o rapaz.
– Estou satisfeito por ter saído de lá.

E o velho replicou: – a mesma coisa você haverá de encontrar por aqui.

No mesmo dia, um outro jovem se acercou do oásis para beber água e vendo o ancião perguntou-lhe:
– Que tipo de pessoas vive por aqui?

O velho respondeu com a mesma pergunta:
– Que tipo de pessoas vive no lugar de onde você vem?

O rapaz respondeu:
– Um magnífico grupo de pessoas, amigas, honestas, hospitaleiras.
Fiquei muito triste por ter de deixá-las.

– O mesmo encontrará por aqui – respondeu o ancião.

Um homem que havia escutado as duas conversas perguntou ao velho:
– Como é possível dar respostas tão diferentes à mesma pergunta?

Ao que o velho respondeu:
– Cada um carrega no seu coração o meio ambiente em que vive. Aquele que nada encontrou de bom nos lugares por onde passou, não poderá encontrar outra coisa por aqui. Aquele que encontrou amigos ali, também os encontrará aqui. Somos todos viajantes no tempo. O futuro de cada um está escrito no seu próprio passado. Ou seja, cada um encontra
na vida exatamente aquilo que traz dentro de si mesmo. O ambiente, o presente e o futuro somos nós que criamos e isso só depende de nós mesmos.

A VIDA É PARA QUEM TOPA QUALQUER PARADA E NÃO PARA QUEM PARA EM
QUALQUER TOPADA.

___________________________

Anúncios

4 respostas a Diversão

  1. jean gustavo tome diz:

    manero tio embora tenha visto todas essas piadas por email todas foram legais

  2. Mário D. Vieira diz:

    Olá Marlon,
    Parabéns pelo Blog, muito bom!
    Que Deus continue te abençoando!
    Pr Mário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s