Influenciando Colaboradores

Líderes são pessoas que mudam mentes (Howard Gardner)

O Colaborador (Mindset deve mudar)

Participei de um treinamento ministrado pelo João Cordeiro (Train the Trainer) e notei que houve muita sinergia com uma obra de Robert Heller quanto a Gestão de Pessoas.

O João abordou a gestão de pessoas com foco no colaborador! Colaboradores porque devemos ver as pessoas que trabalham na empresa como quem “colabora” com a Cia, pois se não houver por parte dos funcionários este pensamento, difícilmente eles permanecerão na empresa por longo período.

Os colaboradores, precisam sentir-se engajados com as metas, precisam saber para onde a empresa está indo e quais oportunidades terão no futuro.

Destacou também que os colaboradores atuais estão com um traço marcante – referente ao nível da tolerância – “ela diminuiu”! Mudou e muito o relacionamento entre as pessoas! Ouvimos neste evento que desde a invenção do controle remoto, nos tornamos mais intolerantes e impacientesfaz sentido? Tudo ficou mais fácil e desejamos as coisas de maneira simples e rápida. Mas agora piorou/intensificou com a era “mobile”! Este “comportamento” num ambiente corporativo, faz com que as pessoas também sejam menos tolerantes no modo de se relacionar!  Aqui um ponto de atenção para os líderes: Com tolerância menor, maior o risco de aumentar o “turnover”, e o que você está fazendo para reter seus talentos?

Influência do líder

Se temos um perfil de colaborador que precisa se sentir engajado e com um grau de tolerância menor nas relações + um cenário político e econômico no país no qual favorece a escassez da mão de obra, o papel do gestor (através da atitude, postura e processo) para reter o funcionário deveria seguir alguns pontos:

1) Buscar a méritocracia: salário de acordo com a função é importante e é FATO!  No entanto, Méritocracia é MÉRITO, é “DesempenhoCracia“, que vem da junção do talento individual + ótimo desempenho + oportunidades no trabalho. O líder deve influenciar permitindo que existam as oportunidades.

2) Busca pelo conhecimento SOBRE SÍ: indentifica-se o grau quanto você tem tempo disponível para pedir informações sobre si VERSUS o tempo disponível para dar informações para a equipe (janela de Johari). Conhecendo a si mesmo, sabendo ouvir, e tendo a humildade de que não sabe tudo e que pode aprender muito com o time, contribuirá e influenciará mais com o desenvolvimento dos outros.

Quem conhece os outros é inteligente, e quem conhece a si mesmo é “iluminado” (Lao-Tsu)

3) Feedback claro e assertivo! Ao avaliar o desempenho do colaborador, faça que o resultado final surta efeito POSITIVO na motivação e na auto-estima. Você pode influenciar colocando foco no “avaliar para motivar“, exaltando o mérito e na valorização do profissional – utilize palavras fortes como: “parabéns, fantástico, excelente“, etc (olhando nos olhos!).

3.1) Avaliações devem ser regulares e individuais, isso propicia uma discussão de “duas mãos” – principalmente quando o assunto é plano de carreira!

3.2) Faça críticas quando necessário, mas construtivas, busque sempre oportunidades de melhoria ao profissional.

3.3) Finalize com um cumprimento!

4) Maturidade da liderança: busque evoluir para cada vez influenciar mais e melhor. Identifique abaixo em qual nível se encontra, ou se utiliza mais de um e variando (é normal), mas reflita em “como evoluir” – tipos:
4.1) O Chefe: utiliza monossílabas, tem muito controle, pouco envolvimento com pessoas e comando forte;
4.2) O Gerente: conhece processos, mas não conhece muito bem o time;
4.3) O Líder: conhece as pessoas, não conhece todos os números, usa frases longas, olha nos olhos;
4,4) Gestor: a mescla entre o gerente e o líder, faz paletras. Faz os outros pensarem e refletir, equilibra competência, técnica e humildade.

Influenciar é fazer com que as pessoas façam bem feito e de boa vontade, aquilo que normalmente não fariam(Arnald Schwatzkapov)

.

Em relação ao Robert Heller – considerado autoridade em administração no Reino Unido, diz que a principal meta de um líder está no transformar colaboradores em CAMPEÕES.  Para elevar um colaborador  ao grau de campeão  e assim reter o talento na empresa – você deve conquistar sua “mente, espírito e coração”!

Para tornar um colaborar campeão e assim mantêlo engajado com a empresa, o gestor terá que atuar fortemente, e Heller dá algumas dicas que são um DE-PARA do João Codeiro:

– Colaboradores gostam de participar do planejamento, é bem mais excitante do que apenas cumprir ordens.  Abra espaco para a equipe concretizar ambições e se autogerenciar, de modo a atingir os resultados esperados. Com a estratégia compartilhada, fica claro e parte que lhe cabe em todo o processo!

Permitir autonomia para que as pessoas criem seu próprio ambiente de trabalho, reconhecendo abertamente as contribuições de cada um. Sempre que possível, delegue responsabilidades e tarefas nas respectivas áreas de atuação. Quanto mais responsabilidades a equipe tiver, maiores serão seus interesses e a sua produtividade!

Delegar decisões permitirá que os outros tomem decisões “tão boas quanto as suas”!
Atribuir poder de decisão a um subordinado reduz a pressão sobre o gerente. Geralmente, para as decisões tomadas por quem está mais perto do FRONT, sao maiores as chances de acerto.

– Com licões da experiência, as pessoas encontram modos de aperfeiçoar o trabalho – cortando custos e ganhando tempo.  Estimule a equipe a levar essas idéias adiante – isso melhora o desempenho e eleva o moral. Faça reuniões regulares com o time para discutir idéias e ouvir sugestoes, pois estes eventos inspiram todo o grupo a aperfeiçoar as propostas.  É altamente motivamente quando o autor da idéia original é convidado a participar do grupo de implementação.

Identificar colaboradores abertos a mudanças (Agentes)! Faça com que o entusiasmo destes agentes de mudança diante da inovação “contamine” o restante da equipe. Nas reuniões, faça destas pessoas os grandes divulgadores das vantagens da mudança.  Esses agentes podem ocupar qualquer nível hierárquico e são fontes de informação preciosas sobre o moral e as reações da equipe.

Utilizar as emoções positivas das pessoas, devemos criar um ambiente aberto à espontaneidade e à originalidade dos agentes de mudança. Isto propicia e estimula idéias criativas. A informalidade, acompanhada de uma tolerância razoável aos erros também contribui para um ambiente caracterizado pela cultura da “honra ao mérito”, e não da “culpa pelos fracassos”.  Até hoje meu amigo Ronan Gaeti, usa uma frase no qual conversamos – “as vezes prefiro pedir desculpas ao invés de licença”.

– Se houver resistência e oposição na hora de implantar mudanças ou rever práticas, “não ignore nem desconsidere” essas objeções. Ofereça à pessoa a chance de explicar suas preocupações e esclareça os efeitos da mudança.

Distribuição e acompanhamento de objetivos é “essencial”. Este recado eu aprendi na prática o quanto é importante, os planos devem ser detalhados e com revisões mensais através de reuniões presenciais. Sugiro que na rotina destas reuniões subam 2 níveis (no mínimo) a participação hierárquica, para dar maior relevância. Deverão trazer o status dos objetivos, os passos alcançados, problemas encontratos, próximos passos, etc.
ISTO É VITAL (minha opinião particular).

Bom, em resumo – o líder DEVE INFLUENCIAR os COLABORADORES! Mesclando João Cordeiro e Heller podemos dizer que:

Influenciar = tornar o colaborador um CAMPEÃO!

Sabemos e é fato que temos no Brasil uma escassez de mão de obra qualificada, e por isso os administradores precisam cuidar dos seus talentos, para isso – considerar que na sua empresa tenham colaboradores e tornálos campeões através da influência dos líderes, poderá ser a alternativa pra manter a empresa competitiva e sustentável.

Você concorda? Deixei seu recado no Blog e compartilhe com os colegas.

Deixo aqui registrado meus parabéns ao João Cordeiro pela palestra!

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Gestão, Influenciando Colaboradores com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

4 respostas a Influenciando Colaboradores

  1. Caro Jaime,

    Você não imagina como estou feliz em ler o seu post, em saber que minhas palavras contribuiram e agora estão sendo retransmitidas. Muito Obrigado!!!!

    ps. Faz muito sentido para mim!

    Abraços,
    João Cordeiro

  2. Carla Biasi diz:

    Nossa que gestor aplicado.
    Marlon você vai longe.
    Que legal o comentário do João Cordeiro.
    PS: Para mim faz todo o sentido.
    Parabéns de novo.

  3. Pingback: Você, influenciável ou influenciador? « samaravieira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s